Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Coisas da Vida

Marcelo é mau por defender uma ideia. Cavaco, por ser contra essa mesma ideia!

prsidenciais 2016 (1).jpg 

"Para ganhar, Marcelo renunciou a Passos e Portas, praticou amnésia sobre o anterior Governo, reconheceu e apresentou cumprimentos à tal "geringonça" e prometeu promulgar políticas que pessoalmente rejeita, como a adoção entre casais do mesmo sexo e o restabelecimento do aborto livre e gratuito. Por muito que isso desespere o revanchismo da minoria de Direita, todos sabem que, sem esta trégua com o Governo de António Costa, o presidente eleito não chegaria a sê-lo."

 

 

Este trecho, para os mais atentos, é uma citação daquilo que Mariana Mortágua escreveu num artigo publicado no JN. Ou seja, critica o facto de Marcelo Rebelo de Sousa, mesmo tendo convicções contrárias, considere que esta é uma medida vanguardista e que faz sentido nos dias de hoje. Ao mesmo tempo que tenta deixar implícito que quem votou em Marcelo o fez por ele afirmar que pretendia promulgar as tais leis.

 

Será que Mariana Mortágua acha mesmo que o povo que votou em Marcelo Rebelo de Sousa é assim tão parvo?

Em Democracia, quem é eleito, seja no Governo ou na Presidência da República, ganha legitimidade popular para tomar decisões dentro daquilo que a Constituição permite.

Não deveria ficar contente por o Presidente (eleito democraticamente pela maioria dos portugueses, logo à primeira volta, derrotando a estratégia aplicada pela esquerda, de forçar a segunda volta) aceitar medidas que o próprio Bloco de Esquerda defende?

 

Ao ler este texto de Mariana Mortágua fico com uma dúvida: será que para o BE, as medidas só são boas se forem candidatos de esquerda a defendê-las? É uma dúvida genuína porque, logo mais à frente, no mesmo texto, Mariana Mortágua refere a felicidade sentida pela saída de Cavaco Silva da presidência da seguinte forma: "Ao vetar os diplomas da adoção por casais do mesmo sexo e da reposição do aborto sem humilhações, Cavaco Silva só não apodreceu ainda mais a sua imagem porque já não havia muito por onde piorar". 

 

Fico baralhado, então agora, não é de louvar a decisão de Cavaco, ao ser fiel às suas convicções e aos eleitores que o elegeram? Ou andei distraído e Cavaco Silva perdeu as eleições e aplicou um Golpe de Estado para assumir o poder?

 

Nestas coisas da política, muitas vezes, vivemos dos encontros e desencontros de posições dos seus atores. Nós, que temos de escolher (e ainda bem que o podemos fazer de forma democrática) entre os maus e os menos maus, somos bombardeados com o seu e o seu contrário vezes sem conta. É quase assim, e já aceitamos sem grande surpresa. Mas esta contradição é por demais evidente e irrisória.

 

Este tipo de atitudes, conversas políticas de embuste, que existem da esquerda mais extrema à direita, são as responsáveis pelo elevado nível de abstenção. Mas, se nenhum deles muda de atitude, talvez seja porque essa abstenção é favorável à forma como se faz política em Portugal. Até ao dia em que o voto em branco permita eleger lugares vazios na Assembleia da República.

 

Desde que se conhecem os resultados das últimas eleições presidenciais que se tem ouvido falar, por entre dentes, porque é difícil digerir a derrota, da injustiça da eleição de Marcelo Rebelo de Sousa, que foi esperto pela campanha que fez, que é uma estratégia que está a ser "montada" há uma série de anos... Fico pasmado! 

 

Quer se goste, ou não, quer seja o candidato no qual se acredita, ou não, foi Marcelo o eleito. Até Jerónimo de Sousa tratou de atribuir o resultado do Bloco de Esquerda ao facto da candidata ser uma "engraçadinha". Sim, já retirou as declarações, mas o que está dito, está dito!

 

Como não se sabe onde atacar, ataca-se a estratégia vencedora em vez de se tentar perceber o que correu mal com a estratégia derrotada. Faz lembrar as análises desportivas aos jogos de futebol, a equipa pode perder por 6-0 mas é um resultado injusto, porque jogaram melhor do que o adversário, e porque defenderam muito!

 

Democracia é isto. A maioria das pessoas que votou, quase 2.5 milhões de portugueses (2.410.170), escolheu Marcelo Rebolo de Sousa para Presidente da República. Mas aquilo que se pretende fazer passar é que os 469.310 que votaram em Marisa Matias estão mais certos e, portanto, ela é que deveria estar na função. 

 

Sim, há países onde é assim que a "democracia" funciona, mas essa não é a democracia pela qual os nossos antepassados lutaram. Por isso, há que aceitar a escolha popular. Sim, nos próximos cinco anos vai fazer coisas que irritam pessoas, mesmo quem votou nele, mas isto faz parte da vida e cá estaremos para fazer os tais julgamentos "populares" sobre as competências, ou incompetências de Marcelo rebelo de Sousa.

 

Nota Final: Falar dos resultados obtidos por Marisa Matias, é a estratégia que o Bloco de Esquerda vai continuar a usar até à exaustão tentando manter a ideia (e realidade) de crescimento do partido. E isto vai suceder até ás próximas eleições (europeias ou legislalitas) para conseguir conquistar um lugar ainda maior à esquerda. E faz muito bem. É a sua estratégia e deve usá-la como entender, tal como fez Marcelo Rebelo de Sousa.

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D