Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Coisas da Vida

A vitória que soltou as amarras de Vitória

vitoria_lusa.jpeg

 

Rui Vitória sai vitorioso do jogo de estreia do Benfica na Primeira Liga. Mas o alívio chegou apenas ao minuto 74. Para os que ansiavam por uma vitória do Benfica, esta goleada ao Estoril, conseguida nos últimos 15 minutos de jogo, fez renascer a esperança. A festa foi grande. Faz lembrar os festejos após a conquista de uma final.

 

Estes 15 minutos, se não forem seguidos de jogos convincentes, serão insuficientes para suportar a manutenção de Rui Vitória.

 

Durante 73 minutos, valeu ao Benfica a prestação de Júlio César e do árbitro, que não assinalou uma grande penalidade favorável ao Estoril logo no início do encontro, e numa altura em que o Estoril conseguia ser melhor do que o Benfica.

 

Surge o famoso "E se...".

 

E se o Estoril tem beneficiado, e concretizado, aquele penalti? Será que a lucidez teria surgido na equipa do Benfica? Teria o Benfica conseguido "soltar as amarras?"

O que se viu de Rui Vitória, durante 73 minutos, foram as amarras.

Este foi apenas um jogo. Um Benfica a jogar da forma como jogou nos últimos 15 minutos pode aspirar à defesa do título, mas é preciso que as "amarras" (que parecem ter sido rompidas) se mantenham soltas já no próximo jogo. Da mesma forma que seria injusto despedir Rui Vitória em caso de empate ou derrota na primeira jornada (apesar de compreensível, devido ao que o Benfica não fez durante a pré-época), a margem do treinador do Benfica é muito curta. Um mau resultado, ou pouco convincente na segunda jornada, poderá significar o princípio do fim.

 

O Benfica está a poucos meses de eleições e Luis Filipe Vieira irá ser escrutinado, essencialmente, pela perda de Jesus para o Sporting. O presidente do Benfica só irá conseguir sair por cima deste caso, se mantiver a equipa no caminho das vitórias. Com ou sem Vitória! 

 

Se era confiança que faltava ao Benfica, para desbloquear as questões psicológicas deixadas com a saída de Jorge Jesus, nada justificará uma prestação inferior ao que se se viu nos últimos 15 minutos frente ao Estoril.

 

A deslocação ao terreno do Arouca, na segunda jornada, deverá ser simples para o bi-campeão nacional. O jogo, tal como deveriam ser todos os jogos, será encarado como mais uma final.

 

E se o Benfica perder com o Arouca? Será que as amarras de Vitória estão totalmente soltas? Os adeptos do Benfica gostam de um treinador que dá indicações durante o jogo, que se exalta quando os jogadores fazem asneira, que aplaude quando cumprem as indicações. O que se viu de Rui Vitória, durante 73 minutos, foram as amarras.

6 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D