Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Coisas da Vida

Pena de raiva

Depois de alguns meses a ser julgado, o ex-presidente do Iraque, Saddam Hussein vai hoje ser enforcado até à morte. Assim o ditaram as leis de alguns homens.

Não estão aqui em causa as atrocidades cometidas pela mão e a mando de um ditador que se aproveitou de todo um povo e quase levou à extinção de outro. Analisando, nua e cruamente os actos cometidos por Saddam, (desde a promoção de guerras ao bombardeamento do povo curdo com gás venenoso), a vontade é apagar tal figura da face da terra. Mas estará nas mãos dos homens julgar um crime com outro crime? Sou contra a pena de morte.

A pena capital não é a forma mais justa de castigo e enforcar um ser humano é um acto violento e cruel quer seja praticado por Saddam Hussein ou por um qualquer juiz ou carrasco ao abrigo de uma "lei". Nada, certamente, irá mudar o rumo dos acontecimentos marcados para o nascer do Sol no Iraque. Mas, uma coisa será certa, o homem conhecido como a raposa do deserto, prometeu morrer como mártir e, apesar de haver muita gente satisfeita com a sua morte, será isso mesmo que vai acontecer.

Saddam foi capturado em Dezembro de 2003 cerca de nove meses depois da invasão do Iraque pelas tropas aliadas. Esta invasão foi realizada com a suspeita, nunca confirmada, que o regime iraquiano estaria a construir armas de destruição maciça. Não será por isso que vai ser enforcado. A sentença foi aplicada a Saddam Hussein pelo tribunal especial, por ser considerado culpado da morte de 148 xiitas em Doujaïl na década de 80.

O mundo tem os olhos postos no castigo a ser aplicado a Saddam. Resta saber que tipo de imagens chocantes irão correr o mundo a apenas um dia de terminar o ano de 2006. Para a raposa do deserto, a vida termina na esquina com 2007. Os vídeos e as fotos com os últimos sopros de vida de Saddam Hussein irão correr o mundo através de televisões e da Internet. Quem vai censurar este episódio da História da humanidade?

O "espectáculo" proporcionado deriva de uma pena justa ou apenas da raiva sentida pelo homem que cometeu actos horrendos e fez sofrer durante décadas?

Paulo M. Guerrinha

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D